DENÚNCIAS DE FAVORECIMENTO NAS 370 VAGAS DO PROJETO “SEGURANÇA ELETRÔNICA “, EM PORTO VELHO

Anúncio

Até o presente momento a prefeitura do município de Porto Velho, não esclareceu e muito menos emitiu nota, sobre as denúncias de favorecimento nas indicações das 370 vagas do “Projeto de Segurança Eletrônica”, onde a empresa de Manaus/AM, vencedora do certamente, terá um contrato milionário de quase 30 milhões de reais, a qual substituirá mais de 900 vigilantes nas secretárias SEMED, SEMUSA e SEMAD.

Um auxiliar de primeiro escalão do prefeito Hildon Chaves, envolvido supostamente no esquema das indicações, está desde o início da gestão fazendo lambança, sua indicação segundo informações foi através do EX senador Expedito Júnior. O modus operandi, deu-se da seguinte forma, o auxiliar do prefeito propõe duas indicações para cada presidente de bairro e lideranças comunitárias com salário na empresa de vigilância eletrônica que variam entre 1000R$ a 1800 R$ em troca de apoio para sua candidatura a deputado estadual, fazendo dobradinha com o deputado federal do seu partido.

O prefeito, “EX promotor de Justiça”, que prometeu em campanha eleitoral o combate nas malversações dos recursos públicos e a corrupção na administração, se quer instaurou uma sindicância pra se apurar as denúncias, engraçado é que quando o Ex presidente da EMDUR Jucelino Amaral (PR), havia recebido um dinheiro legal da “JBS”, nas eleições de 2014, tivemos um verdadeiro espetáculo midiático e agora que a denúncia é grave a uma certa inércia por parte da mídia local. Passou da hora da CMPV, avocar pra si a responsabilidade e pedir o afastamento imediato do envolvido no esquema até a apuração dos fatos, acredito que poderemos ter um primeiro pedido de IMPEACHMENT do atual gestor da capital nos próximos dias.

Fonte: Portal Folha 3

Deixe seu Comentário